Neste estudo são analisadas as relações entre os estressores, as estratégias de enfrentamento ao estresse, os sintomas de estresse e o estilo de liderança e suas implicações na atividade gerencial nas unidades prisionais da Bahia; descrevendo a correspondência destas relações com as principais proposições da Teoria do Reforço Cognitivo (TRC) de Fiedler e seus colaboradores. As hipóteses foram levantadas considerando que os efeitos negativos do estresse e o estilo de liderança inapropriado têm
implicações sobre a atividade gerencial. A pesquisa foi correlacional e descritiva, dentro de análises quantitativas, realizada com base num levantamento bibliográfico exaustivo sobre dois enfoques: as questões psicológicas e o controle sobre o trabalho, e teve, no plano concreto
da investigação, a aplicação da Escala de Vulnerabilidade ao Estresse no Trabalho, o Inventário de Sintomas de Stress, e da Escala Toulousaine de Coping adaptada para uso com a população brasileira, além da Escala de Avaliação de Estilos Gerenciais e um breve questionário ocupacional. A população do estudo, esta estava constituída por agentespenitenciários e gerentes prisionais, sendo a amostra do estudo formada por 400 sujeitos.
Os resultados encontrados apontam para um elevado nível de estresse no sistema prisionalbaiano, com uma sintomatologia correlacionada ao absenteísmo, presenteísmo e abuso de álcool e drogas por estes trabalhadores prisionais; ficando evidente nos resultados que as
relações entre estilo de liderança e o estresse afetam a atividade gerencial a ponto das tarefas não serem desempenhadas de forma satisfatória, mesmo nas unidades que tinham gerentes experientes e dotados de conhecimentos especializados.

Liderança em contextos instáveis

R$ 60,00 Preço normal
R$ 49,90Preço promocional
  • Sandro José Gomes

Amadeus Business Tower, Av. do Contorno, 6594 - 7º andar, sala 701 - Savassi, Belo Horizonte - MG, 30110-044

Seguir

©2020. Editora Dialética. All rights reserved.